Tuesday, April 10, 2007

300 análises a mais...

Mas para quê tanta análise a um filme, que não passa de puro entretenimento visual? Eu não sei, mas não vi no filme “300” de Zack Snyder nenhuma alegoria aos tempos modernos nem ao conflito Ocidente vs. Oriente e críticas perpetuadas à Administração Bush. Até porque sinceramente já não tenho muita paciência para criticar mais o Bush! Mas… vamos lá, só mais um bocadinho… O homem é burro, é; é equivalente ao Rei Leónidas que pensa que pode tudo com 300 espartanos, é; está sempre contra o oriente, está; pensa que tem sempre razão, pensa; mas pessoal, este homem burro como as portas vai lá estar até ao final do mandato e depois baza e se Deus, Alá ou qualquer outro sádico que esteja lá em cima e que goza connosco a toda hora permitir, daqui a uns anos só se fala no Bush como anedota!

É verdade que analisando o filme tem algumas semelhanças com a actualidade, já estou mesmo a ver o Bush de corpinho bem-feito a aguentar as tropas ali até ao fim, sem medos, sem piedade! No entanto, não me parece que essa seja a melhor forma de avaliar o filme. Parece-me que temos que avaliar o seu conteúdo narrativo e o seu papel enquanto linguagem cinematográfica, que arrebata bilheteiras pelo mundo inteiro.

Quanto à narrativa, acho o filme fraco, os diálogos pouco contundentes e todo o filme parece apenas estar desenvolvido para poder mostrar as partes em que não há narrativa, ou seja, as sequências violentas, com um poder visual fantástico, mas pouco elaboradas a nível de narrativa.

As interpretações são fraquinhas, aliás nada de especial. Tenho que defender Rodrigo Santoro que está irreconhecível no seu papel de Rei Gigante à frente de um exército gigante, perverso, belo e perfeito. Achei a opção de o tornar gigante fantástica e muito visual, muito bem conseguida no sentido de explorar ao máximo os mitos da civilização grega. Não concordei com a opção de dobrar as falas do próprio Rodrigo Santoro que poderiam ter beneficiado de um pouco de sotaque já que o rei Xerxes não era grego nem falava inglês, tal como os gregos não falavam, mas enfim…

Só uma pequena nota aparte: não é fantástico como no mundo de Hollywood toda a gente fala inglês, ele é o Alexandre, é o Leónidas, o Xerxes, o Jesus, só falta porem a Madre Teresa de Calcutá a cantar Madonna, porque no fundo toda a gente no mundo tem obrigação de conhecer por inteiro a cultura anglo-saxónica!

Mas… continuando…

Em termos visuais, acho o filme perfeito. Estabelece uma linha divisória muito marcada entre a sombra, perpetuada pelos asiáticos, e a luz da liberdade, defendida até à morte pelos gregos. E por se tratar de imagens claramente tratadas, claramente próximas da linguagem de BD, a violência e o sexo não se tornam tão fortes, são mais leves, porque nunca temos a ilusão da realidade, sabemos que é tudo ficção.

Sempre fui fascinada pela mitologia grega e tenho a dizer que acho fantástico todos os filmes, livros e formas de arte seja de que forma forem que a exaltem, porque não houve civilização mais próxima da perfeição. Os criadores da democracia estão sedeados em Esparta e, na época, acreditava-se que era o povo descendente de Hércules, esse misto entre Deus e Homem. Acho que o filme é bom no sentido em que nos apresenta as mitologias gregas esquecidas numa época em que só as grandes Batalhas se comemoram, da forma mais real possível. E aqui nunca se pretende atingir o real, mas sim o fantástico, o mitológico e é isso que todos procuramos no cinema: o fantástico!

5 comments:

JD said...

O filme é baseado num livro de BD, e está mesmo muito muito parecido ( http://www.solaceincinema.com/2006/10/04/300-comic-to-screen-comparison/ )

Mas é mesmo um filme da pipoca, dos efeitos especiais, apesar da boa banda sonora, e dos bons momentos. Dá para desligar o cérebro e passar duas horitas porreiras..

E já deu origem a um monte de tralha..

http://www.wtfsrsly.com/sparta.php

"This is Sparta!!!!!"

Bjos, e continua com o blog, eu vou lendo de vez em qd!!

Hugo Simões said...

Bem... desta prosa, só tenho uma palavra a dizer:

!FANTÁSTICA!

[como Tu,baby!]

J O A N A said...
This comment has been removed by the author.
J O A N A said...

Completa, exaustiva e esclarecedora, como sempre. Fundamental a Rituxa, que agora tornou mais acessível a partilha do seu conhecimento com todos. Beijosssss. Meu amor

Mariny said...

Dá para fazeres posts mais regulares, faz favor?

Amigona. Beijoca